post-title 10 dicas para começar uma atividade física

10 dicas para começar uma atividade física

10 dicas para começar uma atividade física

10 dicas para começar uma atividade física

Professor da Cia Athletica Campinas dá conselhos que vão motivar as pessoas a deixar o sedentarismo de lado e a ganhar qualidade de vida

A cada início de ano milhares de pessoas fazem a mesma promessa: vou deixar o sedentarismo para trás e iniciar uma atividade física em busca de melhor qualidade de vida ou perder aqueles quilinhos extras adquiridos ao longo do ano que se foi e das festas de final de ano. Mas nem sempre esta decisão passa de palavras ou pensamentos.

Para você que quer, efetivamente, mudar de vida e ganhar saúde, o professor Cacá Ferreira, da Cia Athletica Campinas, preparou dez dicas importantes para transformar os pensamentos em atos concretos.

Mas antes de se lançar à rotina de treinamento, é importante que cada pessoa tome alguns cuidados. Em primeiro lugar, agende uma consulta com um médico e faça um check up completo, passo este importante para você saber quais seus limites cardiovasculares e físicos, importantes para evitar lesões ou mesmo doenças mais graves.

Com o laudo em mãos e liberado, siga estas dicas importantes, que vão te motivar a não começar e largar tudo no meio do caminho

1 – Ame a você mesmo

Exercitar o seu próprio corpo é um ato de amor. Não priorize a sua agenda e sim, agende suas prioridades. Abra sua agenda e coloque nela o dia, hora e as atividades que estão relacionadas com o seu bem-estar, principalmente a hora de dormir, acordar, alimentação e ginástica.

2 – Inicie com um objetivo

Comece sempre a ginástica com uma clara visão de onde quer chegar, pois fará sentido o esforço a ser realizado ao longo do percurso. Sugiro que para cada momento da vida estabeleçamos um objetivo e que neste momento você viva plenamente todas as dimensões: física, espiritual, mental e social, através do movimento.

3 – Comece no local certo

É muito importante observar os seguintes aspectos para a escolha do local de malhar: proximidade com o lugar onde mora ou trabalha, professores formados para orientação, segurança e estado dos equipamentos, higienização do local, clima (sensação percebida dos alunos, professores e local).

4 – Crie sinergia com uma boa companhia

Sempre duas ou mais pessoas juntas conseguirão realizar mais atividade e por maior tempo do que elas separadamente. De repente, você não gosta da atividade, se você tem desânimo, mas sabe que sua amiga vai, é um fator de motivação para malhar.

Ou quando você está no limite físico e um amigo dá aquela força para você aguentar até o fim e superar. Comece a praticar uma atividade física com mais alguém, os resultados serão mais expressivos.

5 – Escolha a atividade certa

Antes de iniciar qualquer atividade, faça três perguntas: Eu gosto dessa atividade? Eu preciso dessa atividade? Eu consigo realizar essa atividade? Para você responder a primeira pergunta relembre das suas experiências esportivas, atividades ou aquelas que despertam o desejo de praticá-las.

Para a segunda, busque se consultar com um médico para realizar uma avaliação clínica detalhada e um avaliador físico para avaliar suas capacidades físicas (força, resistência, flexibilidade, agilidade e velocidade, além da composição corporal).

E para a última pergunta, peça apoio a um professor de Educação Física para apoiá-lo na atividade escolhida. O mais importante é se sentir melhor, pois aquilo que você gosta você tem vontade de repetir. E, se possível, evite realizar uma atividade somente por obrigação, pois é desestimulante.

6 – Personalize a sua rotina de atividade física

Sempre ajuste sua rotina de atividade com o tempo disponível (dias e horários). Estipule a sua frequência semanal baseado sempre no objetivo a ser alcançado, sua atual condição física e sua disponibilidade de tempo.

Não é porque dizem que o ideal é malhar cinco vezes por semana que não pode e vai desistir. Se na sua agenda só dá para encaixar o exercício duas vezes por semana, ótimo. Melhor um pouco do que nada.

7 – Mantenha a disciplina

A continuidade na ginástica é fundamental para criar um hábito, pois quando faltar um dia, daí não vai no outro. Quando você percebe, já não está mais frequentando a academia e voltar a malhar virou um problema. Outro ponto importante da disciplina é manter o foco nas atividades mais importantes do dia, lembre-se da primeira dica.

8 – Supere os dias ruins

Muitas vezes estamos sem vontade de fazer ginástica. Porém, não se esqueça do seu objetivo. Peça ajuda a sua companhia, peça para o professor ajustar o treino/aula, mas vá. Muitas vezes estamos com um estado de humor negativo condicionado pelo local que estivemos (casa, trabalho, viagem, entre outros motivos), porém tenho a certeza que se exercitar será um momento positivo e depois de 20 minutos, o corpo libera substâncias que relaxam o seu corpo e transformam o seu humor para melhor.

9 – Varie para não parar

Um fator muito importante para permanecer em uma rotina de atividade física é variar as aulas/programas, pois aumenta o bem-estar psicológico e a resposta ao treinamento. Muitas pessoas desistem de uma atividade por falta de variação e por falta de variação não há mais melhora e por não haver mais melhora se desestimulam.

10 – Comemore as conquistas

Nada melhor do que a sensação depois de malhar regularmente ver os resultados na relação com o corpo, com os outros e com a própria ginástica. Comemore com as pessoas que ajudaram a você a atingir suas conquistas. Será um momento mágico e um grande reforço para continuar fazendo ginástica ou esportes.

Fotografia: adidas

 

728X90 Corrida