header image
archive-title Ginástica Olímpica
titleName

Ginástica Olímpica

COMO TUDO COMEÇOU

A ginástica é um esporte Olímpico desde a Grécia Antiga, com homens participando de competições individuais e por equipes. Já o termo “ginástica artística” foi usado pela primeira vez no século XIX para distinguir os estilos de fluxo livre das técnicas utilizadas no treinamento militar.

As competições de ginástica logo começaram a acontecer em escolas e clubes de atletismo em toda a Europa e foram incluídas nos primeiros Jogos da Era Moderna, em Atenas 1896. As disputas femininas estrearam em Amsterdã 1928.

Ginástica Artística

Com movimentos que exigem muita força, flexibilidade e equilíbrio, o maior desafio para os atletas é fazer com que tudo isso pareça simples, demonstrando graça e leveza diante dos árbitros. Há seis aparelhos no masculino – solo, salto, barra fixa, barras paralelas, cavalo com alças e argolas – e quatro para as mulheres – solo, salto, barras assimétricas e trave de equilíbrio.

A pontuação é dada por nove árbitros, que avaliam o grau de dificuldade e a qualidade técnica dos movimentos realizados em cada prova e a execução (perfeição) dos exercícios. As medalhas são distribuídas em eventos individuais – em que os ginastas competem em todos os aparelhos –, por equipes e para cada aparelho.

Ginástica Rítmica

As apresentações ocorrem no solo e com trilha sonora, constituindo um espetáculo completo. A disciplina tem cinco aparelhos – corda, bola, arco, fita e maças –, mas apenas quatro são exibidos a cada edição dos Jogos Olímpicos, conforme rodízio definido pela FIG.

Duas bancas de árbitros avaliam as apresentações nas seguintes categorias: dificuldade e execução. Vence a ginasta que acumula a maior nota. Há eventos individuais e por equipes – nestes, há uma programação pré-determinada de aparelhos.

Ginástica de Trampolim

Saltando em um trampolim, os atletas devem realizar saltos acrobáticos no ar. Cada ginasta realiza séries de 10 elementos, com saltos simples e duplos, com e sem piruetas. Após o sinal do árbitro-chefe da banca, o ginasta tem até um minuto para iniciar sua apresentação.

Os movimentos são avaliados por um júri, que dá as notas de acordo com a execução, o nível de dificuldade e o tempo de voo do atleta em cada série. Os ginastas podem competir com meias ou sapatilhas próprias para o trampolim, mas apresentar-se com os pés descalços é proibido. Há apenas eventos individuais no programa Olímpico. (Fonte: Rio2016)

Mostrando 12 de 12 itens

Contagem:
Ordenar por:
Ordem:
Optimization WordPress Plugins & Solutions by W3 EDGE